R-Evolução Anti Pedofílicos

 

2005

 

OBSTÁCULOS

 

 

MANTENDO SIGILO

Apesar de haver interesse de vários jornalistas em divulgar a confirmação dos abusos cometidos por Rogério Nonnenmacher, como solicitei neste site, não tardou para que houvesse repressão a respeito de divulgação de fatos.

Primeiro, as investigações policiais requeriam que houvesse discressão e sigilo de informações, para evitar que houvesse obstrução na obtenção de provas ou distorção da verdade, o que concordo se fizeram necessários durante um determinado período.

 

Em segundo lugar, existe a argumentação de que, enquanto o réu não for julgado, não pode haver divulgação de nomes e detalhes do processo ao público, embora para a surpresa dos desavisados, fui informada por várias pessoas, que estas não tiveram qualquer problema em acessar visualmente os documentos do processo, no fórum de justiça da cidade de Lajeado.

É impressionante a incoerência e o despreparo, na forma como a justiça brasileira conduz os processos, evitando que as comunidades possam participar ativamente no desenrrolar dos processos, principalmente em reivindicar melhorias para as falhas na legislação. Ao mesmo tempo, o próprio sistema judiciário expõe dados pessoais das vítimas e testemunhas envolvidas, constrangendo e colocando em risco a segurança das mesmas, através da permisão de invasão de privacidade dos depoimentos a terceiros.

 

Apesar disso, tive contato com especialistas, através de quais tomei conhecimento de que existem grupos de estudos no próprio ministério público, buscando analisar a repercussões de casos e melhorar o desempenho do sistema.

Cabe entretanto, a sociedade cobrar tais melhorias, reclamando e manifestando publicamente aquilo que não vem de encontro com seus interesses, afinal vale lembrar aos esquecidos que as autoridades são FUNCIONÁRIOS DO POVO, tendo o dever de prestar serviços para a população, que é quem lhes paga os salários através dos impostos.

Foi por “desinteresse” das próprias autoridades, especificamente da própria promotoria de justiça, que no passado engavetaram as denúncias das primeiras denúncias feitas contra Rogério Nonnenmacher, e por causa disso, ele continuou livre para cometer seus crimes. No meu entender, as pessoas que deveriam ter levado adiante as investigações na época e não o fizeram, deveriam ser destituidas de seus cargos e ter seus nomes trazidos a público, pois hoje devem estar praticando a mesma negligência em outros casos ou comarcas.

Da mesma forma, as pessoas devem cobrar de seus legisladores as mudanças legais que hoje fazem da justiça brasileira um exemplo vexatório, a nível internacional, no que diz respeito a abuso de poder em todas as esferas. Os eleitores, devem ter isto em mente, principalmente na hora de escolher seus representantes legais, pois a falta de justiça e desesperança que isso causa as pessoas é um dos grandes motivos do caos que existe hoje no Brasil.

 

A imprensa, por sua vez, tentou fazer a sua parte. Entretanto, fui informada que houveram chantagens e pressões de pessoas interessadas em abafar o assunto.

Segundo jornalistas bem intencionados com quem conversei, vários destes foram impedidos ou aconselhados a não publicarem o nome do pedofilico Rogério Nonnenmacher na mídia. Até mesmo notícias de pedofilia, que anteriormente mencionavam nomes de abusadores de classes menos favorecidas, de repente, passaram a ter o reclame de omissão dos nomes destes, como posição de ética de certos jornais.

Entretanto, há poucas semanas atrás, o jornal Zero Hora, de Porto Alegre, divulgou notícia sobre outro promotor de justiça, da cidade de Erechim no RS, o qual também havia sido preso por abuso sexual de menores e também estaria sob prisão preventiva em cela especial, tendo a imprensa desta vez mencinado seu nome completo sem maiores constrangimentos, apesar de o caso também ainda não ter sido julgado. As notícias pode ser encontradas, através dos exemplares de jornal ZH 14241 de 19/08/2004 e 14507 de 13/05/2005 ou dos endereços eletrônico deste jornal através da internet, clicando nos endereços abaixo:

 

*Nota: Infelizmente o referido jornal não possibilita mais a verificação de suas noticias através da busca de seus próprios links, para fins de pesquisa e referência.

 

http://www.clicrbs.com.br/jornais/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&edition=3817&template=&start=1&section=Pol%EDcia&source=Busca%2Ca849204.xml&channel=9&id=&titanterior=&content=&menu=23&themeid=&sectionid=&suppid=&fromdate=&todate=&modovisual=

 

http://www.clicrbs.com.br/jornais/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&edition=2529&template=&start=1&section=Pol%EDcia&source=Busca%2Ca653021.xml&channel=9&id=&titanterior=&content=&menu=23&themeid=&sectionid=&suppid=&fromdate=&todate=&modovisual=

 

 

O que existe por trás de tanto sigilo sobre a divulgação do nome de Rogério Nonnenmacher na mídia? Dinheiro. Muito dinheiro.

Poder econômico, nomes importantes e muita vergonha já silenciaram as maiores fraudes da história. A disputa pela liderança de poder econômico e político mundial, patrocinou uma das maiores mentiras do século, fazendo até com que as pessoas acreditassem que o homem tenha pisado na lua em 1969!

Abuso de poder econômico é um dos motivos pelo qual a justiça não é provida de leis adequadas, verbas e funcionários suficientes e adequadamente treinados que proteja as pessoas de terem que conviver com tais tipos de criminosos.

O fato de que existe tanta pressão para que se omita o nome de Rogerio Nonnenmacher não é somente pela importância do nome dele como pessoa pública e autoridade que foi, mas por causa da repercussão de nomes de pessoas ligadas a ele.

Existem pessoas de grande poder econômico tentando evitar que o nome de Rogerio Nonnenmacher seja divulgado na mídia, principalmente para além dos limites das cidades de Estrela e Lajeado. Na verdade, não é ele quem tem tamanha importância neste jogo de esconde-seconde, mas aqueles que ficarao em situação constrangedora quando o público souber de vínculos e envolvimentos com obstrução de justiça, por gente que está protegendo e financiando a defesa deste pedofilico.

 

Houve uma prima nossa, que é juíza federal, a qual citarei seu nome em publicação futura, que aproveitou-se inclusive para repreender e intimidar uma autoridade que foi exemplo honorável de esforço e empenho na investigação dos fatos. Esta juíza resolveu interferir para reprimir divulgações na mídia, com o objetivo de silenciar informações que o público deveria ter o DIREITO de saber. Ela, como parente, também não foi capaz de manifestar seu apoio as vítimas que reclamam justiça, nem de se posicionar com repúdia pelos crimes que, a aquelas alturas já havia sido confirmados pelas investigações policiais, mas não vacilou em usar seu poder para tentar encobrir o vínculo  e envolvimento do nome da familia dela a um escândalo.

 

Mas, como já é de repercussão pública, principalmente no Brasil, até mesmo legisladores que têm o poder de promover mudanças, deparam-se com dificuldade em tentar expôr colegas pedofílicos parlamentares e outros nomes importantes ligados ao poder econômico. Muitos destes acabam tendo suas denúncias e projetos sabotados pelos demais, como têm acontecido com a deputada gaucha Maria do Rosário. Ela está apenas arranhando a superfície do problema de abuso sexual contra menores no Brasil e já encontra tantos entraves para proteger vítimas e punir abusadores.

Além disso, o que dizer da própria sociedade, que no seu núcleo familiar encobre a mancha do incesto, que acontece em escalas alarmantes, acobertadas por uma cultura hipersexualizada, como acontece no Brasil, que acaba aceitando tudo isso como uma coisa normal?

 

Assim, apesar de ter recebido voz de prisão preventiva, no dia 19 de Agosto de 2004, na Delegacia da Mulher, na cidade de Lajeado o máximo que a imprensa publicou a respeito do acontecido, foram notícias e breves notas, referente a um aposentado de 70 anos que fora preso e recolhido ao Palácio da Polícia em Porto Alegre, onde aguarda por julgamento.

 

PERDAS E DECEPÇÕES

O principal entrave enfrentado até então, para conseguirmos a condenação de Rogério Nonnenmacher, foi a retração de vítimas, que acuadas pelo medo, ainda não conseguiram se libertar da influência maléfica e domínio do abusador.

Apesar da comprovação da existência de várias outras vítimas no passado, somente a confirmação de abuso daquelas que ainda podem ser protegidas pela legislação, pode ser usado para condenar Rogério Nonnenmacher.

 

O estresse causado a todos aqueles que tentam reclamar justiça, tem sido imenso. Testemunhas eram e ainda têm sido assediadas por aqueles que continuam a proteger e defender tal pedofilico.

Existem aqueles que se acham no direito de, nos impedir de acionar o sistema judiciário, de nos chantagear emocionalmente e até de fazer o mau uso de religião para evitar que Rogério Nonnenmacher receba o que merece.

Durante todo este tempo, nos deparamos com a rigidez daqueles por quem tinhamos grande estima e que hoje resistem em nos apoiar para darmos fim a tais abusos, assim como acontece com as nossas tias, irmãs de meu pai, primos e primas, que lotam até onibus para visitá-lo na prisão, no Palácio da Polícia em Porto Alegre.

Infelizmente, estas pessoas ainda não conseguiram se libertar da lavagem cerebral que o abusador vem infringindo sobre estes durante todos estes anos, tornando se muito dificil mudar suas formas de pensar a estas alturas de suas vidas.

 

Fiquei sabendo inclusive, que algumas pessoas consideradas idôneas pela da comunidade, que estiveram visitando Rogério Nonnenmacher em sua cela, acabaram saindo de lá confusas sobre a veracidade das denúncias. Isso mostra bem, como as pessoas não conseguem perceber as manipulações mentais que Rogério Nonnenmacher exercem sobre os outros.

Imaginem então, como podem crianças ou adolecentes ficarem a salvo de tais influências se, mesmos adultos que, sabendo da existência de confirmação de tantas vítimas dos crimes que este maníaco cometeu, ainda estão sucetíveis de serem influenciados na sua maneira de pensar, custando a acreditar na verdade exposta e comprovada pelas investigações policiais?

 

Pessoas, que sempre souberam dos abusos e compactuavam com o pedofilico, nos deixando expostos ao nosso próprio destino, sem qualquer ajuda, tem promovido ameaças, nos criticam e interpretam confusamente os fatos, se achando na posição de nos negar o direito de reclamar os danos e a dor do abuso que sofremos.

Por causa da atitude destas pessoas, que hoje ainda apoiam Rogério Nonnenmacher, cheguei a conclusão de que não foi por falta de conhecimento que os abusos se estenderam por tantos anos, mas sim por covardia, egoísmo e por que não adimitir, até sadismo.

 

Tendo Rogério Nonnenmacher, o direito de receber visitas, ele aproveita para doutrinar pessoas a promoverem terrorismo emocional contra aqueles que reclamam a verdade.

Um irmão meu, o qual também intenciono citar o nome no futuro, está se prestando muito bem como menino de recados de Rogério Nonnenmacher, veio me confrontar durante a minha estada no Brasil, para me agredir verbalmente, fazer chantagens e acusações. Suas palavras, eram uma réplica perfeita da forma como nosso pai nos abusava emocionalmente, nos reprimia e repreendendia, nos negando qualquer direito de reclamarmos os crimes cometidos contra nós, bem como de pensarmos independentemente e de sermos livres. Este irmão nosso, infelizmente, está sendo um aluno perfeito, tendo aprendido inclusive a ser debochado e autoritário como o nosso pai pedofilico. Receio pelos filhos que ele venha a ter no futuro.

A inversão de valores deste, de outras irmãs que ainda protegem o pai, das tias e primos que apoiam Rogério Nonnenmacher, mostra o quanto estes(as) na verdade se debatem com a necessidade de inocentar a si mesmos. Muitos destes, tendo sido também vítimas daquele a quem protegem, não conseguem perdoar a si mesmos(as), por causa do intenso sentimento de culpa que ainda os(as) atormenta. Assim, lhes resta tentar negar os fatos para que estes não se sintam em posição vergonhosa perante o público.

 

Não é a denúncia que fiz, que deveria ser motivo de vergonha para estes familiares e sim a escolha que estes fizeram, em apoiar um pedofílico, bem como a crueldade dos atos destes para com as sobreviventes que reclamam por justiça.

 

Infelizmente, perdemos o apoio de pessoas a quem tentei exaustivamente ajudar a se libertar da influência do predador, sem sucesso até o momento. Só podemos ajudar aqueles que querem lutar para se libertar do controle de outros e nada podemos fazer por aqueles que não o querem ou alegam não conseguir, principalmente quando estes continuam a ser manipulados por alguém como Rogerio Nonnenmacher.

O fato é que, quando uma pessoa protege alguém que comete crimes contra ela mesma ou contra outros, ela o faz por amor, por medo ou por sentimento de culpa.

 

Como resultado de minha denúncia, uma das vítimas, a qual ajudei no passado a ser libertada temporiamente do abusos sexuais de nosso pai, foi corrompida com promessa de testamento que a beneficía como herdeira única de Rogério Nonnenmacher.

Na ilusão de que é amada, esta vem sendo manipulada com promessas de recompensa, para negar para as autoridades os abusos sexuais cometidos a ela pelo pai.

Esta vítima, com a ajuda das irmãs de meu pai, também ajudou a corromper mais outra vítima que foi chantageada desde o começo das investigações, fazendo com que esta se sinta culpada caso nosso pai seja condenado.

 

Em contrapartida, todos aqueles que testemunharam contra Rogério Nonnenmacher, foram excluídos do seu testamento, como castigo por termos reclamado a verdade. O mesmo jogo punitivo e chantagens que nosso pai nos fazia na infância para nos forçar a fazer o que ELE queria, ele repete hoje.

Felizmente, para aqueles que decidiram escolher a verdade, justiça e integridade estão acima do dinheiro e das aparências. Não há dinheiro que vá reverter a destruição que nos foi feita e nem resgatar a confiança naqueles que nos traíram. Justiça é o que importa para nós, e isso se traduz na prisão definitiva de Rogério Nonnenmacher.

 

Quanto a aqueles que nos traíram, me resta aceitar os limites e o tempo que as pessoas que escolheram proteger o abusador necessitam para elaborar interiormente seus conflitos, leve isso muitos anos ou que talvez jamais aconteça.

 

Mesmo que isso resulte em rompimento definitivo de relações, a minha escolha e a escolha destas pessoas é um direito de cada um de nós. Somente a própria pessoa pode solucionar seus próprios problemas, não cabendo aos outros apontar a melhor forma de lidar com eles.

 

Podemos nos limitar a questionar, apontar caminhos que nos ajudaram a resolver tais situações e até oferecer apoio, mas não cabe a nós fazer as escolhas de outros e nem também tolerar suas adversidades ou agressividades. Também, não posso continuar vivendo em harmonia com pessoas em quem não posso mais confiar. Não posso esperar que estes mantenham uma convivência comigo e nem estes podem esperar o mesmo da minha parte. Algo muito importante foi perdido: A CONFIANÇA.

 

 

 FIG-1*_ A imagem abaixo, mostra notícia do jornal local "O Informativo", por ocasião de audiência do processo criminal no Forum de Lajeado, quando vários familiares foram apoiar e testemunhar em favor do pedofílico Rogério Nonnenmacher.

 

 

 

 

 

 

 

Copyright © Desde 2003 www.r-eap.org - Todos os direitos Reservados