R-Evolução Anti Pedófilos*

*(R-Evolução Anti Pedofílicos)

 

2004

 

UMA NOVA ERA

 

DESVENDAMENTO DO SEGREDO 

Desde o lançamento de minha campanha-denúncia, sobre os abusos sexuais cometidos por meu pai, Rogério Nonnenmacher, muitas coisas aconteceram no Brasil.

A maioria das pessoas que vivem fora da comunidade onde correm os processos na justiça, não sabem ainda da repercussão e acontecimentos ocorridos como resultado do lançamento deste site, pelo fato de eu ter me mantido em silêncio, em respeito à solicitação das autoridades, durante o desenrolar do processo de investigação e julgamento dos crimes de pedofilia de meu pai.

 

Uma vez que a “Caixa de Pandora” foi aberta e o desvendamento de segredos até então escondidos e considerados vergonhosos, isso trouxe esclarecimentos a aqueles que não faziam idéia a respeito do assunto, e muitas respostas para aqueles que as buscavam, ao mesmo tempo que desmascara um pedófilo serial e a existência de pessoas que ajudam a perpetuar seus crimes.

 

 

 

 

 

REAÇÃO PÚBLICA

Como consequência, várias coisas aconteceram para melhor, como a mobilização e reconhecimento da denúncia pelas autoridades legais e o envolvimento da polícia, para começar comprovando a existência de várias outras vítimas.

As comunidades do Vale do Taquari, onde reside a maior parte de minha família no Brasil, tiveram a oportunidade de aprender que o maior perigo pode estar muitas vezes dentro de suas próprias famílias e que isso pode acontecer com qualquer pessoa.

Como reconhecimento disso, muitas pessoas tiveram a boa vontade e coragem de ajudar a divulgar este website e de exigir justiça.

 

Devido a repercussão das denúncias, estive no Brasil nos meses de outubro e Novembro de 2004. Cumpri voluntariamente com minhas obrigações legais, de confirmar perante as autoridades as afirmações que fiz neste website. Também foi da mesma importância, estar de volta ao país que deixei um dia, desalentada, para mostrar que gente como eu não precisa se esconder. Minha atitude foi de buscar encorajar todos aqueles que sofreram abuso sexual na infância, bem como de confirmar publicamente, que não são as vítimas que devem sentir vergonha de terem sido abusadas e sim os abusadores e aqueles fazem a escolha de ajudar a encobrir tais crimes.

 

Acredito que meu retorno e ativa participação no resgate da imagem distorcida que as próprias vítimas fazem a respeito de si mesmas, bem como meu esforço para abrir as mentes de pessoas que sentem “pavor” de tocar neste assunto, abriu uma nova perspectiva de visão a muitos destes.

Recebi muito carinho e respeito de todos aqueles que se prontificaram em colaborar para dar fim a este tipo de violência. Tive a felicidade de me encontrar com muitas pessoas que estão conscientes do benefício que isso irá gerar em sua própria comunidade.

 

 

Muito positivo também, foi o interesse de profissionais das áreas de saúde, sociais, jurídicas e educativas e da imprensa local, com sérias intenções de ajudar a abrir um caminho de esclarecimento, esperança e justiça para aqueles que sofreram os mesmos tipos de abusos. A ação de tais profissionais pode ajudar em muito as pessoas que foram abusadas e que jamais imaginaram que pudessem resgatar suas dignidades ou serem merecedoras de respeito pelo fato de terem tido suas faculdades emocionais lesadas por tais abusos. Eu sou um exemplo disso. 

 

Houveram aqueles que não vacilaram em participar comigo em reuniões a respeito do assunto, em programas de rádio, em mobilizar uma caminhada pública de conscientização contra abuso sexual na infância e de participar do debate público Violência Sexual - Um alerta a comunidade.

O dia da caminhada que promovemos, não podia ter sido mais apropriado para o tema, pois chovia incessantemente.

Um dia tão feio, em que o céu chorava conosco, não nos impediu de sair à rua, para expor um tema ainda mais triste.

 

Quero reconhecer e agradecer a carinhosa acolhida, apoio de entidades e empresas que se prontificaram em ajudar a divulgar, educar e combater abuso sexual na infância, especialmente a Núcleo Consultoria Psicológica Empresarial, a Rádio Tropical FM de Lajeado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Recria, Secretaria de Educação de Lajeado, jornais locais que fizeram as coberturas de tais eventos, empresas patrocinadoras e tantas pessoas da comunidade.

Quero agradecer também a todos que apoiaram, mas quiseram se manter discretos, e a todos aqueles que torcem em silêncio, para que consigamos reverter tamanha tragédia em algo construtivo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FIG-1*_A imagem da NOTINHA publicada em um dos maiores jornais da capital gaúcha, registrou brevemente o evento inédito da passeata que contou com o apoio de mais de 100 pessoas.

Se eu não tivesse criado este website, as pessoas fora das cidades onde cresci, nunca saberiam da minha história!

 

 

 

 

 

 

Leia mais sobre a cobertura da imprensa local das cidades de Estrela e Lajeado no RS, acessando  NOTÍCIAS, na página de ÍNDICE deste website. 

 

 

 

 

 

 

 

COLABORAÇÃO E RESGATE

Houveram aqueles que se mostraram prontamente dispostos a colaborar, assim que o Ministério Público resolveu tomar providências a respeito da denúncia que eu havia apresentado, como mencionei em minha nota de reconhecimento publicada neste website anteriormente.

Dentre as pessoas que me apoiaram, a coisa mais linda que aconteceu foi a reaproximação com duas de minhas várias irmãs, as quais resolveram apostar na verdade.

Assim como elas, outras pessoas da família que acreditavam que Rogério Nonnenmacher teria parado de abusar sexualmente de crianças, elas também se desiludiram e decidiram dar um basta a tantas mentiras e manipulações.

 

Tivemos também o apoio e colaboração recebida por duas tias, irmãs de minha mãe. Uma delas quis se manifestar anteriormente, mas havia sido reprimida pelo marido. Esta participação foi altamente apreciada e extremamente importante como confirmação da gravidade e extensão do período de tempo que Rogério Nonnenmacher vem cometendo tais tipos de crimes, que vem desde muito antes de eu nascer.

Tais pessoas decidiram apostar em mudanças para melhor.

 

Entretanto, a legislação não reconhece os depoimentos destas tias para condenar Rogério Nonnenmacher, assim como não reconhece o meu depoimento e nem de outras pessoas que já atingiram maioridade de longa data e cujos crimes foram considerados PRESCRITOS.

Apesar disso, são em momentos de desafios como estes, que passamos a conhecer quem são aqueles com quem somos relacionados e entre os quais passamos a maior parte de nossas vidas e a quem chamamos de familiares. Passamos a saber então, quem são as pessoas em que podemos confiar e aqueles que não vacilam em querer nos destruir.

 

 

 

 

 

 

 

APOIO

Quero agradecer também a alguns parentes que tiveram a dignidade de oferecer apoio, ao manifestar repulsa a violência que sofremos, por sua iniciativa de colocar mensagens na página destinada a estas, no “Guestbook-2004”, bem como aqueles que me procuraram para oferecer sua solidariedade quando estive no Brasil no ano passado.

Até agora, dentre os familiares de Rogério Nonnenmacher, foram justamente alguns de grau mais distantes que manifestaram seu apoio no combate a este tipo de crime e também alguns que já há muito tempo não estão mais sob o seu domínio. O fato de estas pessoas não terem estado envolvidas diretamente na teia de atuação imediata de Rogério Nonnenmacher, faz com que estes não se sintam constrangidos, por não terem estado sujeitos a comprometimentos, nem terem sido corrompidos pelo abusador.

Pessoas que não tiveram seus conceitos de “certo e errado” distorcidos, conseguem ver com clareza os limites aceitáveis de comportamento, tanto seus como dos outros.

 

 

“Não são aqueles que têm o sobrenome Nonnenmacher que merecem sentir vergonha, mas aqueles que sujaram o nosso nome, como Rogério Nonnenmacher e aqueles que o acobertam!"

 

 

 

 

Copyright © Desde 2003 www.r-eap.org - Todos os direitos Reservados