R-Evolução Anti Pedofílicos

 

2005

 

PASSEATA: RECLAME A NOITE

 

 

 

Mulheres de vários países saíram  à noite em passeata mais uma vez, pra demandar respeito por parte dos homens.

 

A passeata de protesto “Reclame a Noite” (Reclaim the Night), contra a violência a mulheres, que aconteceu ontem a noite 28 de Outubro, acontece todos os anos no mês de Outubro nos países de cultura inglesa e começou na Inglaterra há mais de 20 anos atrás.

O título, se deve ao fato de a maioria das mulheres serem vítimas de violência à noite.

 As mulheres reclamam o seu direito de serem respeitadas pelos homens e de se sentirem seguras, tanto para sair sozinhas ‘a noite nas ruas, bem como dentro de seus próprios lares.

 

A noite esconde agressores que são pais, irmãos, maridos, amigos e colegas de trabalho violentos, estupradores e até assassinos.

É geralmente à noite que as mulheres sofrem discriminação de seus direitos de escolha social ou sexual. São muitos os homens que inibem, rotulam ou se referem a mulheres que saem sozinhas ou acompanhadas de outras mulheres ‘a noite, como sendo “vadias, fáceis, prostitutas, ou que estão procurando encrenca”.

Mulher tem o mesmo direito, assim como os homens, de ir e vir, a onde quiser, quando quiser, sozinha ou acompanhada de quem quiser, sem ser abordada, abusada ou violentada.

Mulher tem o direito de escolher seu direito de socializar, trabalhar ou de ficar em casa, em segurança e em ambiente de respeito, independente de sua idade, educação, profissão, estado civil, posição politica ou social e crença espiritual ou religiosa.

 

Não é so nas ruas, expostas a estranhos, que as mulheres sofrem violência. Na maioria das vezes, esta violência já começa em casa.

O homem que abusa a mulher tanto de forma emocional, fisica ou sexualmente nas ruas, trabalho, ambiente social ou em casa, também vem de um lar  ou ambiente onde este aprendeu a reproduzir violência.

As agressões que as mulheres sofrem na sua vida adulta ou mesmo na infância, começaram nas infâncias de seus agressores!

Para muitas destas mulheres, a aceitação desta violência também começou em suas próprias infâncias, quando assistiram outras mulheres em suas familias serem vítimas de violência doméstica ou social, ou sendo elas mesmas vitimizadas.

Por isso, é que é tão importante educar hoje as gerações futuras para que se rompa o ciclo de violência.

Os meninos de hoje, homens de amanhã, bem como os homens de hoje, precisam aprender que as mulheres não aceitam e nem se sujeitam mais à “cultura da violência” que estes se a costumaram a aceitar como normal.

       

A passeata da qual participei aqui mais uma vez, aconteceu na borda dos estados de Queenland e New South Wales, entre as localidades de Coolangata e Tweed Heads, na área urbana da Gold Coast.

O evento que occorre nesta localidade da Austrália, tem sido organizado todos os anos pelo Centro Contra Violêcia Sexual da Gold Coast e pelo mesmo serviço do estado de Nova Gales do Sul.

Quero reconhecer a importância e encorajamento recebidos  para minha própria cura emocional, recebida de organizações e serviços comunitários deste tipo.

 

 

 

Na foto em que estou com o cartaz, os dizeres sao: “HOMEM DE VERDADE, NÃO ESTUPRA”.

A camiseta rosa que estou usando é a versão em inglês das mesmas que enviei recentemente ao Brasil em doação para arrecadar fundos para a criação de grupos de sobreviventes de abuso sexual na infância, com os dizeres: “PARE O ABUSO SEXUAL NA INFÂNCIA”

 

As mulheres marcharam nas ruas com cartazes, fazendo muito barulho, com autofalantes e apitos, em protesto a violência cometida por homens as mulheres.

Apesar de a passeata “Reclame a Noite” ser feita por mulheres e crianças, existem homens de respeito que apoiam e acompanham a passeata do lado de fora do grupo, ao longo do cordão da calçada, segurando faixas com os dizeres como na foto abaixo:

 

 

 

 

 

“MAIS UM HOMEM CONTRA A VIOLÊNCIA A MULHERES.”  E  também outras como mostra abaixo: "Estupro é crime", "Mantenha as crianças seguras", "Violência doméstica deve acabar" , "Quebre o silêncio".

 

 

 

 

Antes da passeata houveram palestras, das quais fui uma das oradoras convidadas.

Este foi o segundo ano em que participei do evento “Reclame a Noite” também como palestrante.

 

Falei novamente como sobrevivente de violência doméstica e de abuso sexual na infância e lembrei aos presentes que há dois anos atrás, em 2003, eu havia anunciado que iria lançar o site “R-EVOLUÇÃO ANTI PEDOFÍLICOS” na internet, para mostrar ao mundo a cara do monstro que abusou de mim e de tantas outras pessoas. Lembrei tambem de meus objetivos de encorajar as pessoas a reagirem contra a violência sexual e de fazer com que as autoridades tomassem providênvcias e colocassem meu pai na cadeia.

 

Este ano, contei o resultado e os objetivos atingidos até então.

A platéia delirou com gritos e aplausos quando levantei meu braço em sinal de vitória e anunciei que meu pai estava na cadeia há mais de ano, que suas vítimas estavam livres e que da cela onde ele estava ele não poderia fazer novas vítimas.

Reconheci aos presentes que, quantas crianças que eu nem mesmo conhecia, estavam livres, a salvo de meu pai e de outros pedofilicos, por causa da campanha de alerta que lancei publicamente há dois anos atrás através da minha história. Foi uma sensação muito boa…

 

 

 

Contei também sobre a minha ida ao Brasil em 2004 e anunciei minha intenção de retornar ainda em 2005 para dar continuidade a conscientização e apoio a sobreviventes que querem procurar o caminho da liberdade e para a cura de suas feridas emocionais.

Como reconhecimento de minha palestra e participação, fui agraciada pelo certificado de reconhecimento acima, que me deixou muito feliz.

 

 

O video abaixo mostra minha fala final, onde cito a frase do famoso psiquiatra e apresentador de TV norte-americano, Dr. Phill, em que lembro que ele diz que, “molestadores de crianças são como monstros que vivem no escuro” e que por causa disso, precisamos trazer 'a luz discussões e alerta sobre o assunto, para mostrar às pessoas que existe esperança e ajuda para possibilitar que as vitimas possam buscar cura.

 

 

 

CLIQUE no botão para assistir ao video.

 

 

É fazendo barulho, que as pessoas acabam dando ouvidos as coisas que são "realmente" importantes

 para ajudar a resgatar o bem estar das pessoas!

 

 

 

 

 

 

Copyright © Desde 2003 www.r-eap.org - Todos os direitos Reservados