R-Evolução Anti Pedofílicos

 

2003

 

A SOBREVIVENTE

 

 

 

Sinto desgosto por meu Papai,

Sinto um alívio quando ele se vai,

Quando ele volta, me sinto doente,

Pois ele abusa muito da gente.”                                      

 E l i s a b e t h  N o n n e n m a c h e r

 

A letra acima, é uma adaptação minha para a música “Gosto Muito do Meu Papai”, que cantei no Dia dos Pais, certa vez, quando eu ainda estava no jardim de infância.

Meu pai costumava me contrar mais tarde, que ele nunca esqueceria minha imagem cantando esta música para ele. Esta memória costumava lhe trazer lágrimas aos olhos, como também ocorreu na ocasião em que cantei para ele.

Eu sei que esta adaptação lhe trará desgosto, mas este não chega aos pés do desgosto que eu sinto quando lembro do que ele me fez na minha infância…

 

 

                        E l i s a b e t h  N o n n e n m a c h e r – Sobrevivente de Abuso Sexual na Infância

                        Nascida em Estrela, RS, Brasil, em 14/12/1959

Pais:                 Rogério Nonnenmacher e Vera Maria Nonnenmacher

 

Avós:               João Theobaldo Nonnenmacher † e Maria Kolling Nonnenmacher †

                       Oswaldo Mathias Kretzmann † e Melita Kretzmann †

 

Olhe bem para a foto da menina acima…

O que você vê? Inocência, fragilidade, mêdo?

 

Esta sou eu mesma, quando criança. Como tantas outras, eu queria ser amada e feliz.

Uma criança que desejava ter alguém em quem acreditar, sem mêdo, sem culpa, sem tristeza.

Você acha que a criança que você vê, seria responsável por fazer com que seu próprio pai sentisse uma paixão sem limites, que o fizesse desejá-la de maneira tão perversa?

Você acha que, uma criança como esta pudesse fazer com que seu pai se transformasse em um monstro?

Você acha que, eu mereço carregar a culpa de ter feito meu meu pai me abusar sexualmente quando eu era uma criança e ter que manter tal segredo, assim ele poderia manter sua boa imagem de bom pai, marido fiel e cidadão respeitado na comunidade?

Se você tivesse em meu lugar, seria capaz de manter sua sanidade, se tivesse sido molestada sexualmente, diariamente, desde os primeiros anos de infância até sua adolecência? Você poderia suportar ser chantageada, para concordar a se sujeitar a isso, assim seu pai sentiria vontade de trabalhar para sustentar a família?

Você seria capaz de esquecer um passado como este?

 

Depois de tudo que você leu acima, você acreditaria que tal filha pudesse acusar o próprio pai, de abuso sexual na infância, se não fosse verdade?

Você seria capaz de imaginar um pai fazendo algo pior do que isso a sua filha?

Você consegue imaginar a dor, terror, angústia, desespero e tristeza de ter um pai como este?

Você conseguiria viver com memórias de tal infância em que tudo o que você lembra está repleto de abuso?

Você seria capaz de condenar uma pessoa, por quebrar o silêncio e expôr a cara do abusador ao mundo e contar aquilo que tantos sobreviventes de abuso sexual na infância sofrem durante os anos que deveriam ser lembrados como os mais lindos e felizes, como a infância?

 

Meu pai destruiu tudo de mais sublime que uma criança pudesse desejar!

Ele também matou o “Querido Papai” que um dia eu sonhei que pudesse ter…

                                   

 

 

 

Copyright © Desde 2003 www.r-eap.org - Todos os direitos Reservados