R-Evolução Anti Pedofílicos

 

2004

 

Mensagem da Autora

 

 

Quero reconhecer e agradecer ao carinho que amigos e outras pessoas têm exposto na página de mensagens do livro de visitantes (Guestbook).

Lamento não poder responder individualmente aos comentários da pessoas, mas quero manifestar o quanto os aprecio e como é importante receber palavras de encorajamento de pessoas que me amam, aqueles que conhecem a minha idoneidade e tantos que apoiam o que estou tentando fazer por outros. Tais mensagens sempre fortalecem e estimulam quem luta por um propósito, especialmente quando isso implica em mudanças tão dificeis. Agradeço de todo coração a todos vocês.

 

Vejo muitas pessoas me desejando sucesso nesta luta, mas gostaria de lembrar a todos que esta luta não é somente minha, mas de toda a humanidade, pois o que acontece em minha família acontece em muitas famílias, incluindo a comunidade de onde venho.

Não há nada que eu possa fazer e nada irei atingir se estiver sozinha nisto. A participação ativa de todos e a mobilização das comunidades é tão importante quanto a minha iniciativa. O “Salvador da Patria” não existe, mas sim cabe a todos nós a ação conjunta, para o bem comum.

 

Quero também manifestar que, opiniões adversas ao meu ponto de vista também são muito importantes, pois enriquecem focos de atenção a serem discutidos ou esclarecidos em adendos deste site, e de obras futuras. Tais opiniões ilustram muito bem as pressões que sobreviventes como eu enfrentam quando buscam por mudanças. Isto, ajuda as pessoas a compreenderem mais a respeito de atitudes que contribuem para perpetuar abuso sexual na infância.

Gostraria entretanto, de mencionar que mensagens contendo palavras de baixo calão não serão aceitas e serão removidas do site.

  

Para aqueles que questionam o porque levei tanto tempo para expor tal denúncia, gostaria dizer que isso foi resultado de chantagens emocionais e ameaças que sofri durante os anos que estive em proximidade com meus familiares, enquanto morei no Brasil.

Acho muito oportuno que as pessoas possam agora presenciar, com seus proprios olhos, a referência que fiz na página de informe educativo, e apontar como exemplo certas mensagens que estão sendo colocandas no site para me agredir, caluniar e tentar fazer com que as pessoas desacreditem no trabalho de concientização que estou tentando fazer. Tais reações não me surpreendem e não são uma novidade para mim. Fui várias vezes ameaçada no passado de que, se eu denunciasse meu pai algum dia, eu seria alvo de todo tipo de acusações que estas pessoas pudessem imaginar, para tentar me desmoralizar. Seria minha palavra contra a delas. Sei que tais  mensagens, apesar de usarem nomes falsos, são provenientes do próprio pedofílico e de pessoas que ajudam a protêge-lo, para tentar me intimidar. Este tipo de terrorismo foi uma constante durante toda a minha vida enquanto morei no Brasil! Assim, vocês todos poder ver o tipo de AMOR que minha família tem para oferecer e as razões que me levaram a me afastar deles em definitivo.

Entretanto, ao deixar o Brasil, admito que me senti uma covarde  pois vivi o conflito e frustração de ter salvado minha própria pele, sem ter podido fazer nada por gente que estava a mercê de meu pai, pois eu não tive suporte para agir na época. Isso é que me tirava o sono e a paz.

 

Assim como eu, a maioria dos sobreviventes passam pelo mesmo problema e se sentem impotentes para agir!

Por isso, que é tão dificil que as pessoas atinjam a maturidade em fazer tais acusações. Leva muito tempo para alguém se livrar de tamanha repressão. Por causa disso, é que digo que a legislação no Brasil não protege as vítimas de abuso sexual na infância e sim os pedofílicos. Pois, as vítimas que estão sob o período em que podem fazer uma denúncia por vias legais, jamais estariam fortalecidas o suficiente para suportar tal tipo de pressão.

Agora, as pessoas podem ter uma idéia, do que passamos ao tentar trazer a tona tal tipo de denúncia. Uma criança ou uma adolecente, não têm estrutura emocional para suportar as chantagens e manipulações feitas por aqueles que as deveriam estar ajudando, como no caso de familiares, bem como do pedofilico e seus advogados. Assim, a maioria das vítimas acabam sucumbindo a tais pressões e desistindo da denúncia. Por isso é que existem tantos pedofílicos enrustidos nas comunidades e que continuam soltos e voltando a fazer novas vítimas. 

Gostaria entretanto de poder dizer aos sobreviventes, que assim como eu buscam por mudanças, que não desistam de tentar fazer a coisa certa. DENUNCIEM sempre que souberem e puderem ajudar uma vítima de abuso sexual na infância. Mesmo que esta denúncia não venha em seu benefício. Coloque-se no lugar das vítimas. Coloque a proteção das crianças em primeiro lugar!

 

Convoco a imprensa a pesquisar e divulgar mais uma vez, números de casos de abuso sexual na infância que são denunciados e que acabam dando em nada, porque a queixa foi retirada pela pessoa responsável pela criança ou pela própria vítima. Acredito que os números de casos que resultam e encarceramento do pedofilico não passam de 3% apenas. 

Por isso, peço as pessoas para iniciar uma corrente de assinaturas ou listagem eletrônica que pode ser enviada através da internet, para reivindicar mudança na legislação brasileira, para que crimes hediondos como abuso sexual na infância não tenham mais prazo para prescrever. Para que assim, as vítimas possam reclamar tal tipo de abuso em qualquer tempo de suas vidas, resultando em encarceramento do pedofilico.

Pois, mesmo que alguns sobreviventes não tenha mais a intenção de usar a queixa em seu beneficio, esta poderia ser usada para proteger uma vítima de menor que não tenha estrutura emocional ou suporte para mover caso judicial. Não faça isso somente por você, mas pelas vítimas que ainda estão frágeis e não atingiram a sua maturidade.

Faça pelas futuras gerações.

 

Obrigada a todos.

 

E l i s a b e t h   N o n n e n m a c h e r

 

 

 

 

 

 

Copyright © Desde 2003 www.r-eap.org - Todos os direitos Reservados